11/12/2010

Vamos ligar para 192 e tentar socorrer a saúde de Campos

Definitivamente, o problema da Saúde Pública de Campos não é financeiro, é de gestão. É impensável que um Município com um dos maiores orçamentos do País, esteja ainda tão defasado no atendimento básico à população. Esta semana, fui, pessoalmente, ao Posto de Urgência da rua Saldanha Marinho e a impressão que tive foi das piores. No PU pude constatar que falta ventilação para pacientes e funcionários e a estrutura não está a altura da demanda, à despeito do esforço visível dos profissionais que trabalham na Unidade. Ouvi algumas pessoas que ali se encontravam e uma professora que aguardava ser chamada declarou que ela só podia contar com o atendimento público, “fazer o que? Se meu orçamento permitisse, pagaria um plano de saúde”.

Mal acabei de ouvi-la, meu celular toca e era um amigo de longa data, Heli, da localidade Campo Limpo. Muito aflito, me pedia ajuda para uma menina que havia passado mal; a mãe ligou para o Emergência em Casa e esperou por meia hora a chegada da ambulância , até que resolveu pedir ajuda a vizinhos e trazê-la para o Ferreira Machado. Saí de lá com uma inquietação: até quando vamos ter que conviver com uma Saúde em crise? Até quando o problema que salta aos olhos de todos, continuará sem uma solução definitiva.É por conta desse caos que tenho proposto na Câmara Municipal, duas iniciativas: a primeira, uma audiência pública para uma discussão democrática e sem aparelhamento oficial sobre o serviço de Saúde prestado, em Campos. A idéia é convidar autoridades e gestores em geral para um diagnóstico da política implementada, hoje, no setor e, ao final da discussão, elaborar uma carta de propostas para a solução que o problema exige. Inexplicavelmente, o governo mobilizou sua base para derrotar a proposta e transformá-la numa conferência municipal, que, aliás, depois de aprovada caiu no mais absoluto esquecimento.A segunda medida, é a convocação ao plenário da Câmara do secretário municipal de Saúde para elucidação de muitas suspeitas e denúncias, admitidas, inclusive, em portaria pelo próprio secretário.

Convenhamos, hoje, o que funciona regularmente na Saúde Pública de Campos é a propaganda oficial. Nas peças publicitárias, as filas para marcação de consultas acabaram, o atendimento foi universalizado, exames específicos são feitos sem demora e os aparelhos dos hospitais estão todos em pleno funcionamento. Mas, infelizmente, a propaganda não salva vidas. A realidade é bem diferente e a própria Imprensa registra, diariamente, os dramas de uma população desassistida. Os exames mais simples, na área da oftalmologia, por exemplo, não são feitos no Hospital Geral de Guarús há muito tempo. Há aparelhos quebrados, naquele hospital, sem o devido reparo, há mais de um ano. É o cúmulo do absurdo.Em 1988 a Constituição Federal decretava no Artº 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado...e de acesso universal e igualitário visando a promoção, proteção e recuperação da saúde mas o que vemos em Campos é uma indústria bancada pela municipalidade, que por não ter estrutura, terceiriza serviços de saúde por altos custos . E quem paga? Vamos ligar para 192 e tentar socorrer a saúde de Campos .

Ilsan Viana
Vereadora

Artigo publicado na edição de 11/12/2010
no jornal Folha da Manhã

Um comentário:

teste disse...

vereadora o HGG realmente falta tudo: vamos lá:
1- o ar condicionado não funciona e o hospital progetado para uso de ar condicionado não tem ventilação adequada para funcionários e pacientes- os consultórios são verdadeiras saunas......
2- aparelho de glicemia só tem um para toda a emergencia deveriam ser um por setor da emergencia.
3- ESTA SEM APARELHO DE ELETROCARDIOGRAMA!!!!!!!! ISSO É INACREDITÁVEL!!! O APARELHO DE ELETRO USADO É O DO AMBULATÓRIO..... NA EMERGENCIA NÃO TEM.....
4-laboratório demora horas para entregar o resultados dos exames
5-faltam medicamentos PRINCIPALMENTE OS ANTIBIÓTICOS!!!! ISSO MESMO: NO HGG NÃO TEM ANTIBIÓTICOS INJETÁVEIS PARA SEU PACIENTES....
dentre muitas outras coisas....
isso tudo em um municipio com orçamento de bilhoes.... demois reclamam que querem cortar or royaltes....