29/01/2011

OS DESAFIOS DA FRENTE DEMOCRÁTICA

É, no mínimo, alvissareira a notícia da articulação de uma Frente Democrática de Oposição, em Campos, composta de 10 partidos políticos. O fato em si revela que este governo que se elegeu sob a bandeira da mudança já se deteriorou e a percepção é de domínio da sociedade. O quadro da administração pública, nesse princípio de ano, é caótico: obras paradas, praças inacabadas cercadas por tapumes, terceirizações sem nenhum critério, demissão de contratados e, sobretudo, muitas, muitas promessas não cumpridas. A mais vergonhosa, entre todas, é a que previa a entrega de 5 mil casas ao fim do segundo ano de governo e outras 5 mil ao final da gestão. Pois bem, agora pressionada pela urgência da população que vive em áreas de risco, a prefeita anuncia 650 unidades.
Assim mesmo casas que tiveram sua construção questionada pelo grupo especializado do Ministério Público. Foram identificadas situações preocupantes, como a não utilização de colunas estruturais e o uso de alvenaria fora das especificações técnicas, além da escolha de áreas inadequadas e impróprias para edificação dos conjuntos. O caso mais grave é o entorno da Lagoa Maria do Pillar, região de proteção ambiental. Pois bem, um governo com tantos vícios como esse exige uma Oposição qualificada e disposta a construir, com a população, uma nova ordem. Muito além do denuncismo eleitoral.
Ainda mais pela política autoritária praticada pela prefeita de plantão, que recomendou, expressamente, a sua base aliada na Câmara Municipal, que rejeite qualquer pedido de informação apresentado pelos vereadores da Oposição. Como a bancada governista é majoritária, o papel fundamental do Parlamento, o de fiscalizar os atos do Poder Executivo, em Campos, fica definitivamente comprometido. Então, o que resta é a ação de rua e, nesse sentido, os desafios da Frente Democrática são grandiosos e urgentes.
Recentemente, os Partidos da Frente estiveram representados numa visita de inspeção nas obras de maquiagem do Canal Campos Macaé, quando ficou evidente que os 18 milhões de reais do preço inicial e mais os 2 milhões e 600 mil de termo de aditivo serão gastos, unicamente, para recompor as margens do Valão, sem qualquer interferência no curso d’água, há muito anos comprometido pela poluição e mesmo pelo despejo de esgotos no coração da cidade. A simples vistoria da Frente revelou o que boa parte da população desconhecia: a obra não revitaliza o Canal, como a propaganda oficial tentava induzir.
Como se vê, a Frente Democrática tem muito com o que se ocupar. Tomara que a sociedade faça a sua parte, comece a exigir o cumprimento das promessas de campanha, de forma civilizada, mas firme e que passe a cobrar dos seus representantes uma postura cada vez mais responsável. Quanto ao governo municipal, já ficou claro que, ao invés de se comportar republicana e democraticamente, respeitando a Oposição, prefere o ataque gratuito e a tentativa de desqualificar o oponente. Armas comuns aos fracos.


Ilsan Viana - Vereadora
Artigo publicado no
Jornal Folha da Manhã

Um comentário:

Reflexões disse...

CONCLAMO A POPULAÇÃO EM GERAL E AOS BLOGUEIROS A USAR DA AÇÃO POPULAR CONTRA ATOS DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICADOS EM DO NO DIA 15/02/2011. MAIORES INFORMAÇÕES NO BLOG REFLEXÕES http://pensamentossubjetivos.blogspot.com/2011/02/contra-os-cem-milhoes-existe-acao.html
Att.